Thursday, 29 May 2014

experiencias

MP here.
Como disse algures num post anterior traçar um percurso concreto que se aplique a todos os casos é muito difícil.
Até o nosso percurso esteve para ser bastante diferente. Em 2011 andava a responder a anúncios desde Portugal. Algo altamente desaconselhado em muitos sítios e quase ridicularizado noutros. Nesse ano voei de propósito de Portugal para cá para ir a 2 entrevistas com 2 empresas de sonho. A 1ª foi em Julho e foi depois de uma entrevista telefónica em Junho em que depois me ligaram a convidar para uma segunda nos escritórios deles...depois faço outro post para descrever o que é um escritório de sonho...foi uma entrevista de 5 horas com muitas simulações e role play. No final não consegui o emprego pois não tinha a UK working experience que precisavam para lidar com os clientes high profile que eles têm mas fui convidado a voltar quando um dia tivesse alguma dessa experiência pois tinha tudo o resto que eles procuravam.
"Pior" foi a 2ª entrevista em Novembro de 2011. Outra empresa enorme, com uma das maiores marcas mundialmente reconhecidas por trás, em que me chamaram aos escritórios deles em Surrey para uma "breve" entrevista de 2/3 horas numa sexta. Saí sem saber muito o que esperar mas na segunda-feira seguinte já de volta ao trabalho em Portugal ligaram-me e queriam-me. Iam enviar por email a proposta para começar daí a pouco mais de uma semana. Ainda negociei e ampliaram o prazo para começar daí a 3 semanas. Alteraram a proposta e reenviaram...Imprimi aquela proposta e devo-a ter lido centenas de vezes.
Ordenado razoável mas acima de tudo entrar numa empresa de topo com hipótese de adquirir uma experiência única e muito valiosa junto com benefícios únicos como por exemplos 2 voos grátis por ano na cª aérea da marca.
Porque declinei essa oferta?
Foi das piores decisões que já tive que tomar mas apesar de todas as promessas que o cargo trazia tive que muito friamente analisar todos os pontos e concluir que não era viável. Era tudo o que sempre procurei e recusei. Fizemos tantos cálculos, simulações de ganhos e gastos, análises e pesquisas que parecia um estudo cientifico. Chegamos à conclusão que não conseguíamos preparar tudo no tempo que tinha para começar a trabalhar e se tinha conseguido trabalho à "distancia" já alojamento não ia ser a mesma coisa e nas pesquisas não apareciam nem muitas opções nem muito dentro do valor máximo que pré-definimos.
Conclusão dessa recusa foi perceber o que precisava fazer se queria mesmo levar isto avante e então comecei a preparar a minha vinda e o resto é história e a maior parte dela já está por aqui espalhada.
Em suma dá para procurar emprego à distância e responder a anúncios mas têm que estar não só preparados para viajar para uma entrevista como também para a possibilidade de ficarem com o emprego. Por mais óbvio que possa parecer convém ter também isso em atenção e não só quando se responde a anúncios à distância mas também quando já se cá está...




Wednesday, 28 May 2014

immigration

Existem 3 temas que me chateiam profundamente e que evito falar: politica, religião e futebol. São sem duvida temas polémicos e que fazem com que famílias e amigos se chateiem J Mas em relação a UKIP, não sei o que vira dali, sinto que mudei de pais não porque fui obrigada mas porque queria a experiencia internacional e reconhecimento professional/financeiro. Caso algum dia sinta que que não sou bem-vinda mudo-me J
De forma geral, não me parece que o assunto possa ser tipo “ah agora vai tudo embora e não entra mais ninguém”.  A Theresa May esteve há duas semanas na minha empresa em que mesa sim mesa sim é ocupada por europeus legais e pagantes de impostos… era giro ver este pais ser gerido só por trabalhadores ingleses LOL
Eu não votei na UKIP, mas na verdade lendo algumas das coisas que eles defendem, entendo porque estão revoltados, há muita gente que se muda para este pais já com o intuito de pedir benefícios, tratamento medico e casa grátis… certo é que há muita gente a vir e a fazer tudo errado e por causa dessas pagamos todos. Eu quando me mudei, ate para segurança própria assegurei-me que tinha como me sustentar por determinado tempo e plano para caso as coisas não fossem correr como pretendido.
Por curiosidade fica aqui o que eles têm no site deles:
Protect our borders:
• Regain control of our borders and of immigration - only possible by leaving the EU.
• Immigrants must financially support themselves and their dependents for 5 years. This means private health insurance (except emergency medical care), private education and private housing - they should pay into the pot before they take out of it.
• A points-based visa system and time-limited work permits.
• Proof of private health insurance must be a precondition for immigrants and tourists to enter the UK. 
 
Apesar de compreender, eu não sou defensora da UKIP. Acho que tudo tem de ser feito em moderação, os Ingleses também estão espalhados pelo mundo, a trabalhar e a fazer a vida deles noutros países…..




Monday, 26 May 2014

spring bank holiday

spring... ahahah so se aproveitou um dia e nem o facto de ter sido pay day na sexta motivou a sair muito. Aproveitamos para descansar e marcar as proximas ferias para já daqui a 3 semanas, no domingo fez sol por isso almocamos na esplanada de um restaurante Italiano que ainda não tinhamos experimentado, gelado no parque e café frio no café portugues da zona. Como a vontade de cozinhar aos feriados normalmente é pouca experimentamos também as refeiçoes pré-feitas para 2. Não sou muito fá deste tipo de meal deals mas tenho a dizer que já não comia comida indiana desde que nos mudamos e esta estava muito boa, uma festa por 6.30£.
 






Tuesday, 20 May 2014

menina da lagrima

Desde que cheguei ha 2 anos e 2 meses so me lembro de chorar uma vez, no dia que vim, no aeroporto com os meus pais e pelo caminho por causa das gatas no porao do aviao. No domingo nao sei que me deu desatei a chorar no skype no aniv do meu pai. Pedem-me para explicar, nao sei que responder. Pode ter sido porque a prenda dele chegou uns dias atrasada, ou porque a ligacao do skype estava a falhar e eu gosto de ver as pessoas a abrir as prendas, ou pode ter sido por ter saudades, nao sei responder. Estao a insistir comigo que é porque quero voltar para Portugal mas não é nada disso.
Pesquisei no google a ver se encontrava a resposta, mas nao, nao é TPM.
Resultado:
dor de cabeca
os meus comprimidos milagreiros acabaram, tenho mais a caminho pelo correio mas ainda nao chegaram
acordar com a cara inchada
começar a semana maldisposta
O menino da lagrima portou-se melhor que eu... Eu tinha este quadro em casa quando era pequena, se calhar tenho saudades de pendurar quadros!...
 
 
Agora a serio, parece-me que todos em algum ponto passamos por momentos de saudades, nostalgia. E sendo assim li a uns tempos um texto noutro blog (de Miss Cleo http://edadic.blogspot.co.uk/) que explica e muito bem o que alguem da minha terra sente quando esta longe:
 
Nostalgia
 
“Gosto da minha terra! Aquela que me pôs no mundo; que me viu conduzir pela primeira vez; que me viu transformar em mulher; que me viu chorar de amor; que me viu fazer amizades para a vida; que tem o melhor pôr do sol do mundo; que cheira a maresia; que me aceitou em romances nocturnos; que cheira a peixe fresquinho e onde os comboios se cruzam em velocidade.
Gosto de Arcozelo e gosto da praia da Aguda, separados pela linha do comboio, separados pela antiga estrada 109. Gosto de sair da A29, fazer a rotunda, cortar para Miramar e ir pela beira-mar observando as ondas. Gosto do mar encrespado enquanto caminho na passadeira de madeira. Gosto como o meu nariz começa a pingar com a aragem do mar e o vento na cara me seca a pele e sacode os cabelos. Sinto-me viva e plenamente feliz nesse lugar.
Sentada numa esplanada de dia ou na areia em cumplicidades a dois à noite, sou a mulher mais feliz que já viram. Nunca outro lugar me trouxe tamanha serenidade e sorriso na cara. Aqui ao longe onde me encontro, a muitos quilómetros dessa minha costa, bate a saudade, sinto o vazio.
Muitos dias ao acordar olho o rio, como hoje, mas o rio não me faz sorrir. Ao longe vejo-o estático, não me traz emoção. Quero a minha praia da Aguda pertinho, o meu Arcozelo de rotundas estranhas e paralelos e buracos. Arcozelo onde todas as caras me são familiares, onde em qualquer lado se pode estacionar, onde se lavam os carros na rua e as carpetes no meio do pátio. Arcozelo onde ao sábado as gentes vão ao cemitério e ao domingo à feira da santa e à missa das 10:30.
 Aguda onde se vai ao peixe ao sábado de manhã, espreitando as ciganas o que vendem e após o almoço tomar um café ou dar uma caminhada. Quero a costa do norte, com 17km de praias onde andar a pé não é desporto mas um desfrutar de uma beleza linda. Quero os amigos de longa data pertinho para fazermos noitadas num carro ao frio a contar histórias de terror ou na casa de um de nós a comer e beber em amena cavaqueira.
Quero que a Lai cresça livre, que vá ao quintal com os avós colher o que vai almoçar; que passe o muro para ir brincar com os vizinhos, que deixe cartas escondidas num vaso, que aprenda a andar de bicicleta na carreirinha, que vista a sua melhor roupa porque é domingo e que ao sábado vá saudar o mar. Quero que ela saiba o que é ser totalmente feliz e livre, rodeada de quem mais a ama!......”
 


Friday, 16 May 2014

custo de vida

Londres é caro:

http://www.dailymail.co.uk/news/article-2534505/Welcome-London-expensive-city-world-Soaring-rent-petrol-prices-drive-capital-New-York-Paris-terms-costs-essentials.html

Tendo em contas que os ordenados sao melhores que em Portugal, e tudo uma questao de perspectiva.

Nos nao moramos em Londres, mas a principal diferenca a mim parece-me ser no valor das rendas/casas e contas que estejam associadas a mesma. Fica aqui um resumo das depesas mensais que penso serem comum a todos:

Renda Casa – depende da zona, tipologia, numero de pessoas, partilhada/nao partilhada…quanto mais perto do centro mais caro e menos espaco. Quanto mais longe do centro mais barato, casas melhores mas acresce transportes caso se trabalhe no centro.

Council Tax – valor depende da zona
https://www.gov.uk/council-tax/working-out-your-council-tax

TV License – pode ser pago em prestacoes mensais
http://www.tvlicensing.co.uk/

Net - Existem operadoras com opcoes de TV+telephone fixo+net – nos nao temos, acho que os canais normais chegam. Nos nao pagamos pela internet, usamos uma opcao que se chama Fon hotspots – basicamente alguem em Portugal que tem tv por cabo cria uma conta online e podemos usar esse acesso em qualquer parte do mundo, desde que apanhe sinal wifi. Nao sou de muitas tecnologias, mas acho que é assim que funciona.

Electricidade - Varios operadores – nos optamos por um valor fixo mensal, mas € preciso comparer fornecedores e pacotes

Telemovel - Varios operadores – depende das necessidades de cada um – por exemplo o nosso 12£/mes 250 minutos + sms e net ilimitada e sem contrato com a giffgaff

Comer – depende do supermercado que se usa, aqui existe algum preconceito sobre onde ir e certas zonas (tipo a nossa) podem tentar impedir o Lidl de abrir na cidade por exemplo, uma questao de status dizem… Existem montes de promocoes e sites para comparar precos (mysupermarket). Nos fazemos maioritariamente compras online com entrega. Depende mesmo de cada um.
Rank de supermercados do mais barato para o mais caro temos: Aldi. Lidl, Tesco, Asda, Sainsbury’s, Waitrose, Marks&Spencer… (existem muitos mais).

Comer Fora – tal como em Portugal ou outro sitio depende do sitio a que se vai, pode-se comer a precos acessiveis mas tambem muito caro. Bebidas (alcool) sao exageradamente caras (o que nao os impede de estar bebados as 18h30).

Saidas – existem muitas opcoes gratuitas onde ir passear (parques, museus). Cinema so em dias de promocao.

Transportes – nao sou perita pois o meu bus para o trabalho é gratis, mas passe mensal parece-me a melhor opcao. Autocarro em vez do metro tambem ajuda a reduzir custos. Bicicleta tambem me parece ser uma opcao para muitos (mas nao muito segura no centro da cidade de Londres me parece, tendo em conta o numero de acidentes que ainda se registam).

Neste momento a não ser que um de nos tenha de trabalhar na cidade de Londres não considero mudar, morar fora da cidade também tem os seus beneficios, principalmente tendo a oportunidade de também trabalhar fora e nao ter o stress dos transportes publicos por exemplo. Também nos disseram que um apartamento do tamanho do nosso e pelo preco que temos era impossivel, por isso eu recomendo claro e sempre que possivel/compense morar nos arredores. Ouvir os passarinhos de madrugada na janela do quarto é tao bom... :)


Por curiosidade fica aqui um mapa de zonas, tube e national rail:
 

Thursday, 15 May 2014

in-between bank holidays

Faz esta semana dois meses que estou no novo departamento, o inicio foi estranho, mas agora as coisas ja estao a correr como normal. Ja conheco pessoas, nomes, e elas ja me conhecem, ou seja, ja me pedem coisas :)

A funcao implica ser a unica no UK, ou seja, nao tenho colegas de equipa no escritorio. Para evitar a minha manager anterior vim parar ao outro lado do edificio entre outros dois departamentos, é estranho como no inicio todos parecem super fixes e com o tempo comecas a ver as manias e coisinhas de cada um deles. O anuncio a que respondi falava que seria uma funcao nova e que o candidato teria de trabalhar autonomously, ate ai tudo bem, mas ha dias que pronto… as outras meninas vao almocar a cantina em equipa uma vez por mes, e eu fico a olhar. Por outro lado quando elas andam a “puxar cabelos umas as outras” eu fico a rir, porque nao tenho desses problemas. Fixe, fixe era trabalhar a partir de casa, a ver se cola no futuro.

Aahh, ja mentionei que DETESTO quando trazem comida (donuts maravilhosos) para o escritorio e nao oferecem a ninguem, é suposto assumir que é para todos? (eu so me sirvo quando alguem oferece), alem que é super dificil trabalhar com eles a olhar para ti, e depois vais para casa com desejos, e a loja desses donuts maravilhosos nao ha na zona onde moras, e depois nao paras de pensar nisso, e agora nao vou parar de pensar nisto ate comer um, e agora terei de procurar onde comprar igual, e nao da para trabalhar nestas condicoes… 

Ontem depois de ter feito uns exercicios em casa (a empresa lanca uma vez por ano um programa em que incentiva a fazer exercicio, uma especie de competicao – estava sentada a tentar gravar o que tinha feito (decidi experimentar uma app da J&J) quando ouco/sinto a varanda a estremecer, a foto nao faz jus (porque nao tive tempo de ligar a camara sem perder o que estava a fazer), mas ele era mesmo grande e lindo e poderoso, fiquei toda contente. Parecia que estava num filme do Jurassic Park, aquelas garras impoem respeito. As gatas como sempre nao estavam la para ver, tadinhas, quase que diria que com aquele tamanho ele podia bem com elas.


Porque o sol voltou:
- hoje pela primeira vez em meses (muitos meses) sai de casa so com casaquinho de malha
- os almocos a dois na cidade no banco da igreja tambem voltaram
- a ver se a bicicleta sai a rua este fim semana
- tao bom nao ter frio!!


Ja mencionei que aqueles donuts estao-me a enervar?!


Monday, 5 May 2014

cats and birds

Gatos e caixas já é lenda, tinha uma caixa no quarto com sapatos e a mesma vinha a ser atacada já diariamente, por isso resolvi dar-lhes a mesma. Ora cabe uma, cabem as duas e guerra armada. Quando o sono aperta lá dão o jeito, e enquanto houver caixa já estou a ver que as outras duas camas vão ser deixadas ao abandono.




Entretanto a comida de passaro acabou, sim eles andam na nossa varanda, para os mais preguiçosos e desconfiados coloquei a comida num prato e tem sido uma roda viva de amigos voadores, e é ve-las a babarem-se atras do vidro. Comida nova e agua desde sabado, temos mais movimento que a kebab shop da zona.





early may bank holiday

O fim de semana prolongado veio mesmo a calhar e mal posso esperar pelo proximo (ja no final do mes). Ainda andamos a ver apanhar o night bus para Amesterdao, mas depois decidimos deixar para outra altura. Sábado por casa, com as habituais compras no centro, e ainda deu tempo para me deitar no jardim de casa onde a gata da vizinha e o abelhao nao me deixaram em paz, ainda assim deu para apanhar alguma vitamin D. O domingo foi passado em Londres - Little Venice (Canalway Cavalcade 2014) - para almoçar passamos em southbank onde havia um festival comida malaica (Malaysia Kitchen) - caminhar até St. Paul´s Cathedral (e entrar pela primeira vez) e mais vitamina D nas escadas da catedral antes de voltar para casa. Domingo em Windsor onde almoçamos com vista para o rio e onde comi o novo Magnum Marc de Champagne (já andava desde Nice a pensar nele, e não é assim tão bom afinal, assunto resolvido).







 

Saturday, 3 May 2014

discriminacao

MP here.
aqui no UK orgulham-se, dizem eles, do seu multiculturalismo e de acomodar diferentes racas, credos, etc, pacificamente.
Isto na teoria é muito bonito mas a verdade é que quando esta tolerancia vai além de onde devia ir cria-se o que se classificaria como discriminacao positiva mas que nem sempre o é (positiva).
A discrimicao que a CR se refere, nao se refere directamente a nos, vem por exemplo de, ao contrario do que aconteceu em Franca em que se baniu o uso de vestuario, em locais publicos, que tape completamente a cara, aqui tal coisa é  impensavel e qualquer comentario nesse sentido sera seguido de acusacoes de racismo, intolerancia religiosa, etc e sera considerado um atentado a liberdade religiosa das minorias e se eu sequer me atrevo a por isto por escrito aqui é na confianca que o idioma impedirá intepretacoes erradas.
O problema é que do outro lado, volta e meia acontece que alguem, num exemplo recente uma professora ou enfermeira, ja nao me lembro bem, é suspensa ou despedida por ter um crucifixo ao pescoco e nao, nao estamos a falar de nenhum tijolo, mas de uma coisa simples e minima, do genero que muitos de nos usavamos por altura da comunhao solene ou assim.
Mais recentemente e aqui ao lado um idiota qualquer do Council de Oxford nao emitiu as licencas para a procissao de pascoa a tempo e esta teve que ser cancelada porque pensou que Passion of Christ era um espectaculo de sexo ao vivo!
Noticia no independent
E depois isso é outra coisa, as licencas...é preciso uma licenca para pedir uma licenca. normalmente resulta bem, por exemplo, public consultation e assim em que os residentes locais sao consultados antes de por exemplo a tesco abrir mais uma superstore nova do tamanho da aldeia toda, mas voltando atras, algumas coisas, como estas recentes do crucufixo e da pascoa, no pais dos cavaleiros templarios e das primeiras cruzadas fica dificil de perceber.
Nao se trata de nenhuma guerra santa nem nada do genero mas eu vim para ca consciente das diferencas culturais e com a mente aberta para me adaptar mas todos os dias vemos situacoes de pessoas a impor-se e a impor a sua cultura e os locais é quem tem que se adaptar.
A meu ver estes atritos, que nao podem ser referidos em publico, comecam a acumular nas pessoas mesmo que nao o queiram admitir e depois vao-se encontrado escapatorias em quem, como os locais, esta disposto a se adaptar e assim se ve a recente paranoia com fazer parte da UE ou sair da UE, da suposta imigracao europeia descontrolada e como os europeus roubam os empregos porque trabalham quase de graca, quando existem mais de meio milhao de ilegais no pais que nao sendo europeus, conseguiram entrar no UK e conseguem assim ter acesso aos outros paises da europa tudo por nao ha um controlo efectivo de fronteiras aqui.
Ninguem espera um sistema perfeito e ja muito bem vai funcionando aqui com tanta gente de tanto lado diferente mas como sociedade há muito por onde melhorar, mas sinceramente onde nao há actualmente....